Redes Sociais
  Home - Notícias - Newsletters

Newsletters

Com transformação digital em curso no setor da construção, uso de BIM avança


Com transformação digital em curso no setor da construção,

uso de BIM avança

 

 

Conhecido como BIM, o sistema de Modelagem da Informação da Construção ganha cada vez mais importância no setor imobiliário global. Com possibilidade de aplicação em praticamente todas as etapas do projeto, o modelo tem como objetivo gerar ganhos de produtividade e desempenho, reduzir os desperdícios e controlar de forma mais assertiva tanto a obra quanto as operações das edificações.

Uma das principais consequências do uso da tecnologia nos canteiros de obras é o fomento à transformação digital da construção. Se essa revolução tecnológica já aconteceu em alguns setores produtivos e de serviços, no caso da construção é preciso considerar as dificuldades inerentes ao trabalho, que impõem um maior número de licenças com o objetivo de garantir a integridade de seus trabalhadores e consumidores.

Um estudo global realizado pela consultoria IDC revelou que 72% das companhias do setor da construção civil acreditam que a transformação digital é uma prioridade. No entanto, somente 13% do total de empresas já se considera madura em relação à adoção de novas tecnologias. O levantamento contemplou entrevistas com construtoras de 12 países da Europa, Américas e Ásia, incluindo o Brasil.

Mesmo no mercado internacional, o uso do BIM não está consolidado integralmente. Isso está refletido, por exemplo, nos gastos gerados ao setor em decorrência de problemas que poderiam ser resolvidos a partir da tecnologia.

Dados da consultoria CMAA Emerging Technologies Committee Members: Soad indicam que mais de 30% dos custos globais da Construção Civil decorrem de erros de coordenação, desperdício de material e ineficiência do trabalho.

Trata-se de uma parcela de gastos considerável, principalmente quando se leva em consideração a crise econômica que atinge a maioria dos países, bem como a inflação dos materiais da construção civil, cuja alta dificilmente é repassada ao consumidor final.

No Brasil, o uso do BIM será obrigatório para obras públicas a partir deste mês de janeiro, conforme decreto nº 9.377, de 2018. Não se trata, é claro, do simples apertar de um botão. O uso da tecnologia BIM – e a economia que se esperar obter – requer qualificação aos profissionais do setor.

O BIM não consiste apenas na modelagem 3D do projeto, mas na aplicação de outras tecnologias integradas, como realidade virtual e aumentada. Tudo isso em um contexto de manutenção preditiva que, por si só, já gera economias.

Ainda assim, a expectativa do Brasil é de que cerca de 50% do PIB da construção civil utilize a metodologia BIM até 2024. Posteriormente, a confiança é pelo fomento ao seu uso também no setor privado.

A expectativa é positiva já que o incentivo pode ser o que faltava para as empresas do setor que ainda não haviam integrado a tecnologia à sua rotina de operações. Pesquisa recente da MarketsandMarkets apontou que o mercado global de BIM deve aumentar de US$ 4,9 bilhões em 2019 para US$ 8,9 bilhões em 2024. Projeta-se taxa de crescimento anual de 12,7%. É uma forte tendência para o setor, cujo fomento para o uso passa a vir do próprio Poder Público de alguns países.



Retornar
FIABCI-BRASIL - Rua Dr. Bacelar, 1.043 - Mezanino - Vila Mariana - CEP: 04026-002 - São Paulo / SP