Redes Sociais
  Home - Notícias - Newsletters

Newsletters

Boletim Conjuntura - 29/07/2013


                                                                   

 

 Boletim Conjuntura Máquina da Notícia:

CENÁRIO MACRO

Uma série de novos movimentos foi desencadeada no último final de semana e que terá implicações tanto no campo econômico quanto político.
A presidente Dilma Rousseff rompeu um longo silêncio e deu uma (rara) entrevista exclusiva para a jornalista Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo. Acertada de antemão, a conversa tinha por objetivo demonstrar que Dilma não perdeu o controle de governo, minimizar uma série de ataques que sofria e tentar retomar a ideia de que sua imagem está diretamente colada à do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para isso, cunhou a expressão “não haverá volta de Lula porque ele nunca saiu”.

Hoje, a coluna Painel informa que os protestos atingiram a imagem de gerente firmada por Dilma. Para não perder esta associação, o governo está determinado a tirar do papel o plano de concessões e investimentos em infraestrutura.
Dilma ainda deu dois recados importantes: não irá reduzir o número de ministérios e não promoverá mudanças na equipe econômica. Isso pode agudizar uma crise silenciosa que enfrenta com sua base aliada. Mesmo dentro do PT há, segundo informações que abastecem os jornais diariamente, descontentes públicos com a resistência da presidente.
Nos últimos dias, também houve movimentações importantes sobre a chamada “terceira via” da disputa presidencial. O presidente do STF, Joaquim Barbosa, refutou, em entrevista ao “Globo”, ser candidato a presidente. Ele já havia negado a possibilidade outras vezes, mas não depois de seu nome aparecer de maneira tão competitiva como nas últimas pesquisas eleitorais. Barbosa disse que o país não está “preparado para um candidato negro”.
Em outra direção, o tucano José Serra já está sendo incluído nos cenários para a disputa presidencial, voltou a aparecer publicamente com um discurso contundente de oposição. Hoje, porém, sofreu um revés: contava com a fusão do PMN com o PPS para tentar cacifar uma candidatura presidencial alternativa, mas a associação das legendas não irá adiante.
Para o governo federal, a divulgação dos resultados do crescimento de renda no país nos últimos 20 anos coaduna a visão de mobilidade social e de inclusão. Os municípios das regiões Norte e Nordeste são os que registraram maior crescimento de renda nas últimas duas décadas, segundo números do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento).

ECONOMIA
Pressionado pelas concessionárias e não querendo correr riscos de contestações judiciais, o governo federal recuou das regras para os leilões dos aeroportos de Galeão e Confins. Hoje, confirmou a desistência de algumas exigências que planejava impor às empresas interessadas. O leilão deve ocorrer em outubro. O governo vai autorizar, por exemplo, a participação de fundos de pensão das estatais na disputa, com uma fatia de até 15% dos consórcios.
Nos seis primeiros deste ano, as empresas com sede no Brasil fizeram investimentos diretos no exterior de US$ 11,3 bilhões. Esse valor, que representa um aumento de 60% em relação ao mesmo período do ano passado, mostra que as companhias brasileiras retomaram o processo de internacionalização que, após uma onda em 2010 e 2011, havia perdido fôlego ao longo de 2012. A expansão dos negócios brasileiros no exterior decorre, em parte, do cenário interno mais morno, que desestimula investimentos, e de problemas de competitividade no país, como a inflação e os custos.
A CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou hoje que o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor, que havia caído 3,5% entre maio e junho, ficou estável em julho. Conforme o levantamento, os brasileiros estão especialmente pessimistas com a evolução dos preços nos próximos seis meses. O indicador de expectativa de inflação caiu 5,9% na comparação com junho _quanto mais baixo o índice, menor a confiança das pessoas. A expectativa em relação ao desemprego caiu 2%.

MANIFESTAÇÕES
Manifestantes voltaram a se concentrar na frente do prédio onde mora o governador do Rio, Sergio Cabral, no Leblon, zona sul, desde a manhã de hoje. Eles pedem o impeachment de Cabral, a instauração da CPI dos ônibus, a desmilitarização da polícia, a liberação dos presos em manifestações e perguntam onde está o pedreiro que sumiu após ser levado pela polícia para uma revista, na Favela da Rocinha.
Em São Paulo, moradores da Vila Caic, em Cubatão (SP), fazem uma manifestação na rodovia Cônego Domênico Rangoni, que dá acesso a margem esquerda do Porto de Santos, no litoral de São Paulo. O ato provocou lentidão também nas rodovias Anchieta e na Padre Manoel da Nóbrega. Os manifestantes reclamam de uma reintegração de posse que irá acontecer na Vila Caic.
Cerca de 50 manifestantes ocuparam, no início da tarde de hoje, a sede da Prefeitura de Belo Horizonte. Estão presentes diversos movimentos em favor da ocupação urbana.
Delegados e policiais civis paulistas realizaram uma paralisação de duas horas em todo o Estado na manhã desta segunda-feira. A categoria protesta contra as condições de trabalho. Cerca de 80% dos mais de mil distritos policias paulistas participavam do ato e paralisaram temporariamente as atividades. Durante o protesto, a delegacias permaneceram com as portas abertas, mas os policiais não atendiam a população.
 

 

 

 



Retornar
FIABCI-BRASIL - Rua Dr. Bacelar, 1.043 - Mezanino - Vila Mariana - CEP: 04026-002 - São Paulo / SP